Projeto de coleta seletiva no condomínio

O estado de São Paulo possui mais de 50 mil condomínios, sendo residenciais, comerciais e industriais. Diante disso, pela grande concentração de pessoas, podemos concluir que há uma quantidade enorme de resíduos.

Como lidar com essa grande concentração de resíduos em condomínios?

Trata-se de conscientização. Implementar um projeto de coleta seletiva é uma solução.

Coleta seletiva é o mesmo que reciclagem?

Sim e não. Coleta seletiva na verdade, é uma das etapas do processo de reciclagem. E reciclagem é a transformação do material coletado.

Como adotar essa medida?

O mais recomendado é que haja uma comissão, referendada por uma assembleia que também aprove a implementação da coleta seletiva.

A coleta seletiva está presente no dia a dia de muitos, principalmente em praças de alimentação em shoppings. Alguns condomínios também já tornaram a coleta seletiva como padrão, e, para quem busca colocar em prática, primeiramente é importante ter o compromisso e responsabilidade para encontrar quem retire o material separado do condomínio, para não haver risco desse material parar em aterros ou lixões.

O recolhimento pode ser realizado por cooperativas, serviço público ou privado. (Órgãos públicos – normalmente a prefeitura de cada cidade possui informações a respeito das empresas de reciclagem).

Após a parceria findada, é necessário que o condomínio promova ainda mais orientações a respeito do assunto para incentivar todos os condôminos sobre a importância do descarte correto. E os condôminos devem cooperar se habituando aos novos procedimentos, respeitando além da limpeza de embalagem, como também as datas e horários de descarte para coleta.

A separação dos materiais deve ser feita de acordo com o tipo: papel, plástico, vidro, metal, orgânico e os não recicláveis. E deve ser definido se haverá funcionários retirando o material ou se haverá uma lixeira separada, para que os próprios condôminos depositem os resíduos.

De toda forma, o local de armazenamento e equipamentos devem ser adequados. O espaço deve ser ventilado e deve ser de fácil acesso tanto para as pessoas do prédio, quanto para quem vai retirar o material.

E é de grande valia que durante o processo, os moradores sejam informados sobre os passos realizados, as mudanças e resultados do projeto. É uma forma de incentivá-los.

Aposte na coleta seletiva, afinal, resíduo reciclável não é lixo e se destinado de maneira correta, é uma forma de contribuir ao meio ambiente.